quinta-feira, 9 de junho de 2011

Vasco Campeão - Coritiba prejudicado pela Arbitragem








O Couto Pereira foi preparado na noite desta quarta-feira para um jogo digno de final. Uma vitória por 3×2 marcada pela pela determinação da equipe coxa-branca, marcações duvidosas da arbitragem e muita catimba do adversário deixaram o Coritiba como vice-campeão da Copa do Brasil 2011.
Para esta final, sem poder contar com o atacante Anderson Aquino, suspenso, o técnico Marcelo Oliveira colocou Edson Bastos, Jonas, Demerson, Emerson, Lucas Mendes, Léo Gago, Willian, Marcos Paulo, Davi, Rafinha e Bill.
Nos primeiros minutos só deu Coxa. O Alviverde precisava fazer o resultado e, na pressão da torcida, foi pra cima do Vasco. Mas quem saiu na frente no placar foi o adversário, aos 11′ com Alecsandro.
Com o gol sofrido, o time ficou nervoso em campo. Para deixar a equipe mais ofensiva, o treinador coxa-branca substituiu Marcos Paulo pelo atacante Leonardo, aos 27′. E aí só deu Coritiba mais uma vez.
Aos 29′, Jonas tocou de cabeça para Bill empatar. Sem tempo para comemorar, o artilheiro pegou a bola no gol e levou para o meio de campo, na expectativa de recomeçar a partida e buscar o placar.
Depois de muitas chances, mais um para o Verdão. Aos 44′, Rafinha bateu para o gol, Fernando Prass deu rebote e Davi não perdoou: fez 2×1.
No intervalo nenhuma alteração. O Coritiba voltou a campo pra cima do adversário, buscando o gol. Logo no início, Davi cobrou falta e Fernando fez a defesa. O novo castigo veio aos 12′, quando Éder Luís recebeu na frente e mandou de longe para o gol.
Marcelo Oliveira mudou. Primeiro Lucas Mendes saiu para entrada de Eltinho. Depois foi a vez de Léo Gago sair para entrada de Marcos Aurélio. O Coxa seguiu pra cima. Aos 20′, em boa trama no ataque, a zaga vascaína cortou. A bola sobrou para Willian e ele mandou uma bomba no ângulo de Fernando. Um golaço!
À frente no placar, o Alviverde ganhou confiança e foi direto para o ataque. Foi só pressão até o final, criou jogadas rápidas e mostrou toda a sua força ofensiva. Aos 24′, o lance mais polêmico do jogo: Leonardo recebeu a bola na área e foi derrubado, em jogada que o árbitro nada marcou, mandou seguir.
Nem assim o Coritiba desistiu. Foi guerreiro até o último minuto e ainda teve aguentar a catimba do adversário, que teve seu goleiro, Fernando Prass, caído ao gramado mais de cinco vezes.
Mas nada apaga a campanha histórica do Coxa nesta temporada. Um time que venceu grandes adversários, goleou, teve o maior saldo de gols e mostrou que está unido para vencer. Agora a equipe se mostra 100% focada no Campeonato Brasileiro, no qual trabalha para deixar o Coritiba lutando sempre pela ponta de cima da tabela.


O vice-presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade parabenizou o grupo do Coritiba e diz que deixa a competição com o sentimento de campeão. "Faltou um gol. Fomos infelizes neste jogo. Me considero vencedor e campeão da Copa do Brasil", disse.

O dirigente também criticou a arbitragem de Sálvio Spíndola e o goleiro vascaíno, Fernando Prass. "Eu lamento uma arbitragem extremamente infeliz. O Fernando Prass do Vasco apitou o jogo. Tivemos um pênalti. O árbitro foi covarde e não teve peito para dar. O Vasco foi inteligente e jogou com o equipamento embaixo do braço. O Prass deveria se aposentar e ser árbitro",

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget